Full text: 1.1922=Nr. 1 (1922000101)

PELO MUNDO... 
ESTAMENTOS EXQUISITOS 
Calculamos que o reí de Hespanha deve ter 
achado bastante graça quando soube que lhe havia 
legado, todos os seus haveres o Sr. Sapène. Tal 
acto inesperado deste original vem sommar-se á 
lista já extensa dos testamentos fantasistas; se assim 
divertem o publico e a justiça, por outro lado fazem 
que os legítimos herdeiros ostentem cara feia. 
Entre outros, o abbade de la 
Rivière deixou um tes 
tamento dos mais curio 
sos, do qual da 
mos duas clau 
sulas : 
Por testamento ainda, vend'u Vaugelas o proprio 
cadáver com o fim de pagar as dividas ! 
E que diremos a esse pintor hollandez, que havia 
estabelecido um dote, o qual devia ser dado todos os 
anuos a uma moça da aldeia com a condição de que, 
no dia do casamento, fossem o noivo e a noiva dançar 
em cima da cova do doador ? 
Julgava elle perturbar-lhes a felicidade com essa 
obrigação macabra ? 
Naturalmente, os trocistas também fazem das suas 
e não faltam mystificações posthumas. Ha alguns an- 
nos passados, em Lyão, foi um 
medico avisado de que, por 
testamento, lhe le 
gava devidamente 
uma sua 
cliente 
-W 
I 
.. ff 
M^RY EATON Cujo casto encanto é de novo o successo do theatro ‘‘Ziegfeld Follies”, em Nova York 
Art. 14 — Nada lego ao meu mordomo porque ha 
dezoito annos que está ao meu serviço. ,. 
Art. 15 —Deixo cem escudos a quem fizer o melhor 
epitaphio a meu respeito. 
E’ fácil de adivinhar a grande cópia de epitaphios 
que appareceram, pois não eram mais ricos que os ue 
hoje os poetas daquelle tempo. Foram os cem es 
concedidos a Maynard pela seguinte sextilha: 
Ci-gít un très grand personnage, 
Qui fut d'un filustre lignage 
Qui posséda mille vertus, 
Qui ne trompa jamais, qui fut toujours tres g 
Je n’en dirai pas davantage ; 
Cest trop mentir pour cent ecus. 
O epitaphio terminava em epigramma . . . 
uma pequena escrivaninha antiga, com todo o seu 
conteúdo. Abriram o movei; só encontraram nelle as po 
ções e pílulas que ha não sabemos quantos annos lhe vinha 
receitando o medico. Adivinham os leitores a careta 
do legatario perante essa manifestação um tanto in- 
commoda para os seus brios profissionaes... 
Mas quem leva a palma na pilhéria é um advogado 
de Colmar que deixou bóa maquia a um hospital de 
alienados,.acompanhada desta menção: 
Ganhei este dinheiro com os que levam a vida em 
questões: e pois uma restituição.” 
O homem superior revela-se pela força da sua acti- 
vidade ; uma actividade incançavel filha da necessida 
de ue alargar em todos os sentidos a sua- existencia 
a sua tama e o seu imperio. —Mme. Guizot.
	        
© 2007 - | IAI SPK
Waiting...

Note to user

Dear user,

In response to current developments in the web technology used by the Goobi viewer, the software no longer supports your browser.

Please use one of the following browsers to display this page correctly.

Thank you.